Concursos Federais suspensos? Entenda tudo sobre esse assunto:

Quem sonha em ingressar em um órgão público federal vai ter mais tempo para se preparar.

Isto, porque na última segunda-feira, Paulo Uebel, secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia e responsável por liberar as autorizações, declarou que não estão previstos novos concursos públicos federais em 2019. “A ideia é fazer um trabalho antes de autorizar qualquer concurso de melhoria e eficiência operacional”, afirma.

Segundo Uebel, a meta do governo federal para este ano é reduzir em 21 mil o número de cargos, comissões e funções gratificadas em todos os ministérios nos primeiros 100 dias, o que pode gerar uma economia de R$ 209 milhões por ano.

Devo me preocupar com essa declaração?

É normal que haja uma preocupação após a declaração do secretário. Mas vale lembrar que nos anos anteriores, mesmo após declarações semelhantes dos governos em atividade, diversos concursos federais foram realizados.

Em 2015 e 2016, o governo anunciou a suspensão dos certames por conta do agravamento da crise econômica. Porém no ano seguinte, em 2017, foram mais de 35 mil vagas abertas. No início de 2018, foram previstas 50 mil oportunidades. Seguindo essa ideia, neste ano mais de 40 órgãos enviaram pedido ao Ministério da Economia.

Em janeiro, o Orçamento Federal, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, confirmou a previsão de 48.224 provimentos, sendo 4.851 para criação e 43.373 para provimento. No total, a Lei 13.808, que trata do Orçamento, prevê R$3,3 trilhões de gastos.

Outro ponto importante é que, mesmo que não haja novos concursos em 2019, esse tempo pode e deve ser usado para sua preparação. Normalmente, quando um edital é publicado, as provas acontecem, em média, em 60 dias. Aproveite esse tempo para poder estudar ainda mais.

Concursos Estaduais e Municipais

É importante ressaltar que o anúncio feito secretário Paulo Uebel afeta apenas os concursos de âmbito federal.

Os concursos estaduais (PM, PC, TJ, TRT, SEFAZ, etc.) e municipais (Prefeituras, Câmaras, SAAE, etc.) continuam abertos, previstos ou autorizados, uma vez que não dependem da autorização do governo federal para serem lançados.

Deixe seu comentário